Quando a gente ouve uma música e volta no tempo

30/04/2016

nostalgia | s. f.
nos·tal·gi·a 
(francês nostalgie, do grego nóstos)
substantivo feminino
1. saudadinha;
2. vontade de voltar rapidinho no tempo;
3. aquilo que acontece quando você ouve algumas músicas.

Hoje é sábado e finalmente não precisei ler textos acadêmicos ou preparar trabalhos. Debaixo do meu cobertor, nesses 12 graus que Florianópolis convidou pra passar um tempo, resolvi ouvir músicas que eu botava no meu mp3 pra ouvir durante as aulas de matemática do fundamental, usando meus piercing de pressão da Avon (num ato infame de rebeldia).

É incrível como ouvir uma música pode transportar a gente pra épocas distantes. Cheiros, gostos e sentimentos voltam à tona pra nossa memória, não tão nítidos como antes, mas ainda sim vivos dentro de nós. Às vezes, a viagem é tão longa que a gente demora se conectar com a atual realidade, ao fim da música. 

Tem gente que não gosta de sentir nostalgia, mas dependendo de como eu estou, eu amo. Acho que a gente só não gosta quando nossa realidade não tá tão boa quanto a nossa memória. Se eu brigo com alguém e ouço uma música que me faz lembrar dessa pessoa, eu não fico muito feliz em lembrar dela, mesmo que a melodia me traga bons momentos, porque nesse caso a nostalgia se torna algo angustiante. Mas se eu tô de boa e lembro de algo bom, as coisas se equilibram e se torna mágico lembrar uma fase da minha vida, sabendo que eu tô feliz agora também. 

Escolhi 8 músicas que me trazem lembranças boas. Convido vocês a fazerem o mesmo, seja em seus blogs ou em cadernos que guardam na gaveta. 


na foto da playlist: eu, aos 14, muito rebelde

PARANOID ANDROID - radiohead: Quando eu ouço essa música, me lembro de um show cover que fui com o Vini, lá em Santos, que tocou Muse e Radiohead. Eu fui por causa do Muse, que é minha banda favorita, mas depois do show da outra banda fiquei louca e baixei uma tonelada de música deles no dia seguinte. Eu já tinha ouvido Paranoid Android em vários outros momentos, principalmente na MTV, há anos, mas ouvi-la naquela noite me fez sentir muitas coisas boas. Mesmo tendo servido pra muitas bads da vida, ela continua sendo uma boa lembrança.

ENTERTAINMENT - phoenix: Ouvir essa música me faz lembrar do Lollapalooza de 2014, ao qual fui só pra ver Muse e acabei descobrindo a existência de Phoenix. Quando ela tocou, o vocalista se jogou em cima da gente e eu fiquei revoltada porque me afastei ainda mais da grade. Mesmo tendo sido horrível ficar sem conseguir mexer os braços durante todo o show do Muse, essa música me traz lembranças de um dia que ficará pra sempre na minha memória.

THE HANDLER - muse: Já que falei tanto de Muse, aí estão eles. Quando ouço The Handler, me lembro das mini viagens que eu fazia quando voltava do Educafro, onde eu dava aula de Biologia, e ia pra casa do Vini. Isso aconteceu somente em uns 3 ou 4 sábados à noite, mas me traz uma nostalgia muito boa, porque foi na época que essa música tinha sido lançada e eu ouvia em modo repeat a viagem inteira (pelo amor da beyoncé, gente, esse baixo no refrão é sensacional).

THANK YOU FOR THE VENOM - my chemical romance: Assim como todas as músicas dessa banda, que marcaram a minha adolescência inteirinha, Thank You For The Venom me faz lembrar da minha fase-emo-em-que-eu-odiava-ser-chamada-de-emo. Eu lembro de colocar esse CD no último volume todo santo dia e cantar as músicas enquanto lia o encarte (maior símbolo de ostentação da época, por sinal). 

THE PRETENDER - foo fighters: Essa música me faz lembrar de quando eu ia pra Bertioga com meus pais, de carro, e eles ouviam Fundo de Quintal no som. Eu ficava muito brava porque eu era rebeldezinha emo, como citei, então levava meu mp3 e ficava a viagem inteira ouvindo meus rock mtv. The Pretender era uma das que eu mais ouvia e me fazia querer ter uma banda e ser reconhecida internacionalmente (quem nunca). 

JOKER AND THE THIEF - wolfmother: Achei essa música hoje, depois de anos sem ouvi-la, enquanto passava o comercial num desses canais de TV fechada. Não consigo dizer a saudade que me deu das manhãs em que eu acordava pra ir pra escola e ligava na mtv. 

BRING ME TO LIFE  - evanescence: Esse é um dos maiores símbolos nostálgicos da minha vida. Foi a primeira música em inglês que eu aprendi a cantar, depois de gravar um show do Sandy e Jr em VHS, no qual eles fizeram um cover dela. Lembro de ficar horas, apertando pause e play, copiando o que eu entendia que a Sandy cantava, não em inglês, mas do jeito que eu conseguia entender. Sei cantar do começo ao fim até hoje.

LET THERE BE LOVE - oasis: Essa música me lembra do momento em que percebi que amava o Vini. Eu tava na casa de uma amiga e fiquei com algumas pessoas, daí de repente comecei a chorar e todo mundo ficou assustado. Eu senti que o que eu tava fazendo era muito errado, já que na noite anterior eu tinha ido ao cinema com ele e tinha sido muito legal. Daí, todo mundo parou de se pegar e fomos cozinhar, às 4 da manhã, quando tocou essa música no rádio. 


Nem preciso falar que depois de escrever todas essas explicações eu fiquei ainda mais nostálgica.

Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

2 comentário (s)