Um certo Capitão Rodrigo

08/09/2013

Sabe aquele livro que a gente pega na biblioteca e nunca mais devolve?


Rodrigo Cambará chegou ao povoado de Santa Fé causando. Chapéu caído na nuca, com seu cavalo, violão à tiracolo - aquele estilo que chega num bar, pede uma dose de bebida forte, lança um olhar de "sou foda" não intencional à galerinha pacata que fumava um cigarrinho maroto e os deixa com vontade de dar um pequeno murro na cara dele. 

É com seu jeito firme e com um coração enorme que o Rodrigo vai ganhando a confiança alguns moradores e, ao mesmo tempo, o eterno ódio de outros. O que não esperava o amante de jogos, mulheres e bebidas, porém, é que o seu coração encontrasse o da jovem Bibiana, fazendo com que ele não quisesse mais abandonar Santa Fé. Linda, delicada e amável, a moça cativa o rapaz de espírito livre e uma história de amor ganha seus primeiros traços, convidando o leitor para uma viagem de luta e borboletas no estômago. 

"Ai, que livro feio, amassado, amarelado, velho, detonado, chato". Essa foi a impressão que eu tive ao encontrá-lo no meio dos outros livros, na estante do Educafro. Mas aos poucos superei esse preconceito e hoje estou muito orgulhosa disso. 

Gente, livro bom não é só aquele que tem capa dura por cima da capa original pra gente fotografar e mostrar no blog no post comprinhas de agosto. Existem histórias incríveis dentro de livros detonadinhos esperando para serem lidas. Vamos driblar o mundo superficial ao nosso redor juntos e nos interessar mais pela história do que pela estética do livro. Com isso, faremos um bem sem explicação para nós mesmos.


A linguagem dessa história não é tão contemporânea à nossa, mas posso garantir procês que é muito fácil de entender. A leitura corre bem rapidinho e a gente logo fica com pena de o livro estar acabando tão rápido. Olhem o trecho da foto acima, por exemplo: as palavras são bem escritas, mas é super simples entender cada uma delas. E olha que coisa mais linda o Rodrigo-homem-livre-pegador relatando o que sentira ao ver Bibiana pela primeira vez. Não é lindo, gente?

Esse livro é uma das partes de O Continente, livro escrito por Érico Veríssimo, que faz parte da trilogia O Tempo e o Vento. Procês verem como a história é boa, heim? Como pode uma parte de um livro virar um livro? - isso é quase um trava-línguas.

Só tenho uma coisa a dizer para terminar essa resenha: Érico Veríssimo, muito obrigada!



Meu perfil no SKOOB


Comentário feliz: Na semana passada, fui ao cinema sozinha, como de costume. De repente, um dos trailers quase me fez chorar. Adivinhem? Vai lançar o filme O tempo e o Vento em setembro! (sambando na cadeira do cinema).

Thiago Lacerda dará vida ao Capitão Rodrigo e Marjorie Estiano à Bibiana. Pra mim, não há atores mais parecidos com a descrição feita pelo Érico e tenho muita esperança de que o filme seja lindo como o livro. 


TRAILER:


***

Falando em livros, vocês já foram à bienal desse ano? 

Me rasguei inteira quando soube que ia ser no Rio de Janeiro ($), pois já cogitava a possibilidade de subir pra São Paulo e conhecer esse evento. Mas meu amigo-irmão-jornalista-simpátiquinho Tadeu foi à Bienal do Livro no Rio e gravou uma matéria muito muito muito interessante com sua equipe por lá. 

Confesso que me identifiquei nos 1:45 (quem nunca?)


A HISTÓRIA DO LIVRO, DO PERGAMINHO À BIENAL

Você poderá gostar também:

6 comentário (s)

  1. Nunca li mas tem cara de ser muito bom :)
    Adoro livrinho com carinha de velho <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é uma história muito bonita, Letícia ^-^
      obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Adorei, pelo que você contou, a história. Vou adicionar na minha lista de livros pra comprar/pegar emprestado/achar na biblioteca.
    Adoro quando livro verá filme, e mais ainda não o filme não estraga a história.
    Acredite se quiser, eu acho livro detonadinho vintage, não que eu destrua os meus nem nada disso, tenho amor demais por eles, mas se tem algo que eu não julgo é livro velho, detonadinho assim, é tão ♥

    Só pra deixar uma obs, voltei com o blog: http://denovomaisumavez.blogspot.com.br/ obris ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. exatamente, é vintage! uma fofura, né?
      obrigada pela visita, Gabi :D

      Excluir